Arquivo | fevereiro, 2011

Santa Paciência…

7 fev

A evolução tecnológica e a correria do dia-a-dia transformaram a nossa sociedade indiscutivelmente. Paciência é uma virtude numa época em que o tempo é medido em milisegundos. Para que esperar para ler o jornal pela manhã, se todos os dias as notícias invadem as telas dos nossos computadores quase simultaneamente em todas as partes do mundo?

Fast food, prêt-à-porter, plug and play… Tudo isso simboliza a loucura que é viver na era pós-moderna. Mas até onde vai toda essa pressa? Há muito tempo, não gostamos de esperar pelo que quer que seja. Pode ser a comida assando no forno ou os minutos que levam um download. Ninguém quer esperar. O pior é que estamos transferindo a afobação para outras áreas de nossa vida. Atropelamos nossos próprios planos e necessidades por não termos paciência de esperar o tempo certo.

A paciência é não apenas rara, mas também essencial nos nossos dias.  Quem não tem paciência dificilmente escuta a si mesmo ou consegue esperar pelo melhor, agarrando-se sempre ao bom (que invariavelmente chega mais rápido).

Na vida existem os momentos em que é necessário desacelerar e respirar fundo. Gastar tempo ouvindo a brisa ou o som da chuva caindo.  Enquanto estivermos correndo, a vida passará diante dos nossos olhos na mesma velocidade, sendo impossível admirar a beleza dos pequenos detalhes. Vamos despertar agora, enquanto há tempo. Não deixe sua vida escorrer entre os vãos dos seus dedos. Não espere até ser tarde demais!

 

Deixo aqui também a excelente reflexão que é a música “Epitáfio” dos Titãs. Que os nossos últimos pensamentos sejam gratidão por tudo o que fizemos, não pesar pelo que não pudemos esperar e assistir acontecer.

Epitáfio

Titãs

Composição: Sérgio Britto

Devia ter amado mais
Ter chorado mais
Ter visto o sol nascer
Devia ter arriscado mais
E até errado mais
Ter feito o que eu queria fazer…

Queria ter aceitado
As pessoas como elas são
Cada um sabe a alegria
E a dor que traz no coração…

O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar distraído
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar…

Devia ter complicado menos
Trabalhado menos
Ter visto o sol se pôr
Devia ter me importado menos
Com problemas pequenos
Ter morrido de amor…

Queria ter aceitado
A vida como ela é
A cada um cabe alegrias
E a tristeza que vier…

O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar distraído
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar…(2x)

Devia ter complicado menos
Trabalhado menos
Ter visto o sol se pôr…

 

 

 

Anúncios