Random Feelings…

10 mar

“Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?”.

Apesar de milenar, a Bíblia (livro de onde tirei a frase acima) não poderia estar mais correta. Ainda não conheço algo mais confuso do que o coração humano(especialmente o meu, que conheço mais de perto).  Os sentimentos mudam constantemente e sem avisos. Um dia você odeia certas coisas ou pessoas e no outro já as ama perdidamente.

Esse post é a pura expressão da indignação que sinto em mim mesma por tamanha inconstância. Gostaria de encontrar uma receita para fazer com que os sentimentos não mudassem assim tão facilmente e para que a vida  não fosse uma eterna novela mexicana.

Mas como não existe  tal coisa,  acho que a melhor saída é tentar driblar o pequeno monstrinho mutante dentro de nós. Aqui vão alguns passos que costumo seguir:

Primeiramente : Respire e conte até dez antes de deixar a onda de sentimentos te dominar.  A maioria dessas ondas vão com a mesma velocidade com que vieram. Se depois de respirar fundo, os sentimentos ou a simples “vontadinha” incômoda de fazer algo estiver dentro de você, passe para a parte dois.

Segundamente : Olhe ao seu redor e observe as pessoas que convivem com você. Se qualquer um que seja puder sair machucado com o  realizar desta sua “vontadinha”, não faça nada. Não vale a pena machucar alguém querido por sentimentos que em anos (quando não semanas ou dias!) mudam. Se sua vontade não significar a “morte” ou o choro de alguém, siga para o último passo.

Ultimamente : Converse com um amigo ou alguém de confiança e ouça a sua opinião. Converse com Deus, ouça Sua orientação, faça o que for preciso até que não haja dúvidas sobre  a veracidade de seus sentimentos. Depois de tudo isso, se seu desejo ainda for sincero e os sentimentos puros, talvez você possa dar vazão a eles sem maiores danos.

O pior de tudo é que quando se trata do enganoso coração nada é inteiramente garantido. Entretanto o parar pra refletir traz um certo equilíbrio, e um pouco de equilíbrio nunca fez mal a ninguém, certo?

Ps.: Eu mesma costumo fazer essa avaliação quanto a meus sentimentos frequentemente. Claro quando são de grande magnitude. Se o sentimento em questão for apenas a vontade de comer uma barra de chocolate, não tem porque obssessivar, certo?

Anúncios

Uma resposta to “Random Feelings…”

  1. Murillo março 16, 2011 às 11:39 pm #

    “Não somos a mesma pessoa do ano passado; nem o são aqueles que amamos. Que boa sorte se, mudando, continuamos a amar a pessoa mudada!”

    Em suma, acho que o tempo é senhor curandeiro. O amor porém é nosso guia mor, eu por exemplo ajo sempre com paixão, paixão sob vontade… enfim, adorei o texto. Um beijo.

    “Faze o que tu queres pois há de ser tudo da lei. O amor é a lei, amor sob vontade.”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: